Lumina - Guilherme Ghisoni

No ano de 2016, tive o prazer de entrevistar Claudio Edinger. Como se estivesse diante do oráculo de Delfos, dirigi a ele todas as perguntas que faço a mim mesmo sobre fotografia, mas que sempre falho em encontrar uma resposta satisfatória e definitiva. Suas respostas foram surpreendentes e muitas delas com metáforas maravilhosas (como, por exemplo, a do retratista como um maestro que organiza em harmonia a orquestra do mundo!).

Em meio à entrevista, ele citou de memória uma frase atribuída a Cézanne. Segundo Claudio, ele teria dito que, para o pintor, “não existe paisagem, só existe a luz”. Essa frase ficou gravada em mim e por um bom tempo refleti sobre o que seria o correlato fotográfico dessa afirmação de Cézanne: “para o fotógrafo, não existe paisagem, só existe a luz”.

Este  ensaio é o resultado desta reflexão.


(A entrevista com Claudio Edinger foi publicada no livro Confluindo Tradições Estéticas (2016), que organizei com Carla Damião, por ocasião do I Colóquio Internacional de Estética da FAFIL/UFG. A entrevista por ser lida neste link).