Três cortes no fluxo da vida/Three cuts in the stream of life - Guilherme Ghisoni

Sobre o ensaio:


No ensaio fotográfico "Três cortes no fluxo da vida", o artista Guilherme Ghisoni explora a relação entre tempo, memória e subjetividade. Do ponto de vista temporal, nossas vivências têm a forma de um fluxo presente, que se fragmenta entre momentos de consciência e inconsciência (vigília e sono). Porém, para que as memórias dessas vivências possam pertencer a um sujeito é necessário concebê-las como parte de um tempo único e sincrônico. Nossas memórias devem ser como pontos em uma linha do tempo, que concebemos como a estrutura temporal de nossas biografias. O sujeito é aquele a partir do qual essa linha que une as memórias se desenrola. Nas composições de "Três cortes no fluxo da vida", Ghisoni conecta três cortes fotográficos, operados no fluxo de suas vivências diárias. Com isso, ele busca construir uma temporalidade que é ao mesmo tempo sucessiva e sincrônica. Em seu ensaio, as vivências dadas na forma de um fluxo sucessivo se perfilam de forma simultânea, constituindo uma unidade narrativa, isomórfica à relação entre o sujeito e suas memórias autobiográficas. É através dessa sucessiva simultaneidade que a temporalidade necessária à subjetividade se constrói.